Uma opinião quase unânime na sociedade é de que os governos devem fazer com que os seus presos trabalhem enquanto cumprem pena. A medida, além de combater o ócio na prisão, pode resultar em algum tipo de benefício aos cofres públicos.

É o que se espera de um projeto lançado no estado do Maranhão, onde a Secretaria da Administração Penitenciária (Seap) inaugurou sua primeira marcenaria de móveis projetados. Toda a mão de obra é composta por detentos do regime Semiaberto.

De acordo com a Seap, a princípio são empregados 31 presos. A previsão é de que eles fabriquem nada menos do que 1.200 móveis nos próximos meses. A produção envolve mesas, armários, gaveteiros, raques e outros móveis.

A mobília, que é toda feita em PDF, será destinada a órgãos públicos do estado.

Deixe uma resposta